Outsourcing – Reduza custos e atinja melhores resultados

Com certeza você já ouviu falar alguma coisa sobre a Lei da Terceirização. Este é um assunto que tem levantado muita polêmica. Mas, polêmicas à parte, você deve acompanhar o tema pois o outsourcing é uma etapa importante para a gestão da sua empresa – e então, claro, você precisa saber o que a lei diz sobre isso.

A lei traz algumas mudanças no processo de outsourcing – principalmente relacionadas à possibilidade de terceirizar atividades ligadas ao core business. Contudo, pode ser que ela ainda demore muito para entrar em vigor. A lei está em tramitação -aguardando a votação do Senado -, e esse é um processo cheio de etapas, que pode demorar muito para ser finalizado (em geral a velocidade está atrelada à vontade política…). Para se ter uma ideia, este projeto de lei está em votação, finalmente, após ficar 11 anos parado na câmara (que é a primeira etapa do processo de tramitação).

Pode ser que a aprovação ainda demore muito para acontecer, mas, enquanto isso, é importante que você domine um pouco o universo do outsourcing, até mesmo para poder avaliar se esse caminho é vantajoso, ou não, para o seu negócio.

A seguir, vamos esclarecer as principais dúvidas sobre o tema e você vai conferir dicas fundamentais para não errar na hora de terceirizar. Você também vai conhecer um caso de empreendedor que errou (já dizem por aí: “antes ele do que eu”…), mas que deu a volta por cima, e conferir seus principais aprendizados a partir desse tropeço.

Afinal, qual é a vantagem do outsourcing?

O seu produto ou serviço é bom. E a sua empresa está conquistando cada vez mais clientes e expandindo a atuação no mercado. Toda a operação está redonda. Quer dizer, nem tanto. Há alguns setores da operação que comem boa parte do seu orçamento, e que nem são a sua atividade central. Nesse momento, uma boa solução pode ser, justamente, terceirizar.

Com a ressalva de tomar muito cuidado com áreas estratégicas demais e que não comprometam o desempenho do seu produto e a experiência do cliente, a terceirização pode ser uma solução mais econômica e vantajosa para diversos setores de uma empresa –e isso varia de empresa para empresa-, como a gestão administrativa, de TI, de comunicação e marketing, vendas, telemarketing, transporte e distribuição, RH, serviços de limpeza e manutenção, serviços jurídicos.

EM VEZ DE PERDER TEMPO E RECURSOS TENTANDO FAZER BEM AQUILO QUE NÃO É A SUA PRAIA, QUE TAL FOCAR SEUS ESFORÇOS NAS ATIVIDADES LIGADAS AO SEU CORE, E DEIXAR PARA OS OUTROS TUDO AQUILO EM QUE VOCÊ NÃO TEM EXPERIÊNCIA?

No universo do e-commerce, por exemplo, o Cross Docking e o Drop Shipping são sistemas de distribuição e entrega que envolvem terceirização, mas que podem trazer muitos ganhos para pequenas e médias empresas –como agilidade e economia de recursos. Saiba mais no artigo: 7 etapas para usar o cross Docking na logística do seu negócio

Antes de terceirizar, aprenda com os erros (melhor se forem os dos outros…).

Quando Andrew Angus, CEO da Switch Video – empresa que desenvolve vídeos corporativos, com atuação em mais de 15 países e 8 diferentes línguas – optou pelo outsourcing da boca do funil de suas vendas, ele não sabia ainda o grande erro que estava prestes a cometer, e o tamanho do prejuízo que traria para sua empresa.

A estratégia de outsourcing da Switch Video foi pensada para aliviar a equipe interna de vendas, que até então estava sempre muito sobrecarregada com a grande procura pelos serviços da empresa. Assim, a equipe terceirizada focaria sua atuação em conduzir o atendimento a partir do contato inicial de novos e potenciais clientes, encaminhando para a equipe interna de vendas apenas aqueles com real potencial de fechar negócio.

O resultado foi um fiasco para a empresa em diversos aspectos. De um dia para o outro, a equipe interna de vendas passou de uma agenda lotada para uma vazia. O número de contratos fechados caiu. A qualidade e a agilidade de atendimento (uma das marcas registradas da empresa) também foi comprometida. E, para piorar, a terceirização ainda gerou uma crise interna com a equipe de vendas.

O depoimento do CEO da empresa sobre esse difícil momento, você encontra neste artigo da INC, mas a grande lição que ele transmite a partir de sua experiência com outsourcing é: cuidado ao terceirizar, pois o que era para ser uma vantagem, pode se tornar um enorme prejuízo.

Apesar das dificuldades resultantes de uma escolha errada, o empreendedor tirou alguns aprendizados importantes:

Outsourcing não deve ser aplicado em áreas ligadas ao core do seu negócio. Mantenha os aspectos fundamentais do seu negócio em casa, onde você tem controle total. Confiar na própria equipe: a terceirização foi uma opção tomada para desafogar a equipe de vendas, mas a solução rapidamente se transformou em um problemão, que poderia ter sido evitado com um trabalho de organização de processos de atendimento da equipe de vendas. Em vez de terceirizar a gestão de leads, a empresa investiu em entender e melhorar os processos da equipe de vendas, uma vez que a qualidade do produto final estava muito atrelada à qualidade do atendimento. Enfim, outsourcing não é solução para tudo. Fique atento!

Quais as principais dicas para terceirizar sem errar?

Confira algumas dicas para não errar na hora de fazer outsourcing:

  • Cuidado com as funções muito estratégicas, ou vitais para a sua operação. Por se tratar de algo muito importante, o melhor é acompanhar de perto. A Apple, por exemplo, toca internamente todo o trabalho de design e desenvolvimento de produtos – sua marca registrada e o que a diferencia no mercado – e terceiriza a produção das peças e montagem de seus equipamentos.
  • Cuidado ao escolher seus fornecedores e parceiros. Na hora da conversa todos são maravilhosos. Você precisa ir além do que os fornecedores te contam. Cheque referências e pesquise com muita calma. Errar nessa escolha pode ter um preço fatal, pois qualquer ilegalidade na atividade de um fornecedor, pode virar um problema seu.
  • A ainda sobre os fornecedores, é crucial que seu jeito de trabalhar e seus valores de conduta e ética estejam alinhados aos seus. Fazer outsourcing não é somente contratar uma empresa e esquecer do assunto. Vocês serão parceiros, e o desempenho da atividade deles – mesmo que seja em uma atividade secundária- vai impactar diretamente no seu desempenho.
Fonte Endeavor @ https://endeavor.org.br/outsourcing/